© 2018 Todos os direitos reservados 

EU

AMO

ROBÔ

FICHA

TÉCNICA

EU AMO ROBÔ conta a história de Zé, que é arrancado de  sua realidade aparentemente perfeita ao ser internado em  um  hospital psiquiátrico por sua família sem o seu  consentimento. Em meio a medicamentos, terapias  ocupacionais e conflitos  morais e éticos vividos pelos  peculiares pacientes e  funcionários, ele encontra refúgio em  Chii, a encantadora  paciente que se autodenomina um robô.  A relação dos dois e  a vivência das outras personagens  naquele ambiente insólito  traz ao palco, então, o  questionamento dos limites dos  conceitos de loucura e amor.  Afinal, que preço se paga pela  paz de espírito?  

 

Com texto e direção de João Hannuch, a terceira montagem  da Benvinda Cia explora a loucura sobre diversos ângulos e  aspectos, conduzindo o público pelas nuances visuais e  emocionais trazidas pelas temáticas abordadas. A encenação  se inspira no universo das histórias em quadrinhos e dos  animes, em sua cenografia e concepção. Com uma proposta  minimalista, a ideia é recriar um ambiente antisséptico, que  remeta a um hospital, frio e futurista, mas que caminhe em  conjunto com a dinâmica da história e das cenas. Com 13  bancos brancos, um retângulo de LED azul e 13 camisolas  hospitalares, os atores se revezam em cenas curtas e  entrelaçadas de maneira não linear, acompanhadas de uma  trilha sonora que aproxima de maneira sutil e marcante as  nuances dos temas levantados ao longo da peça. 

 

Além disso, a construção dramatúrgica e corporal dos  personagens ganha cores únicas, uma vez que o espetáculo  apresenta personagens escritos especialmente para os atores. “Esse foi o grande diferencial na direção em comparação a  Limonada, nosso trabalho anterior. Também não tive medo de  buscar referências em diretores que admiro, já que somos um grupo jovem e sempre com montagens originais”, comenta o  autor e diretor. Inclusive, uma referência muito presente no  trabalho foi a do desenho japonês “Chobits”, colaborando para a imersão do público nesse universo lúdico e com estética  oriental. O nome da personagem Chii é, também, uma  homenagem a uma personagem do desenho.  

Direção e Dramaturgia:

João Hannuch 


Elenco: 

Bárbara Grossi 

Carolina Biagi 

Emma Jovanovic 
Fábio Pazitto 

Izadora Caroline 

Jhones Pereira 

Jhullie Campos 

Lheo Shiroma 

Marina Borovac 
Virginia Lapoian 


Figurinos: Érica Estevam e Fábio Pazitto 
Visagismo: Bárbara Grossi 
Cenografia: Benvinda Cia 
Iluminação: Gabriel Pinheiro 
Trilha Sonora: Fábio Pazitto, João Hannuch 

e Jhones Pereira 
Arte Gráfica: Fábio Pazitto 
Fotografia: Caroline Moraes 

Produção: Bárbara Grossi